Ícone do site Blog da Arquitetura

Você não vai mais querer sair da faculdade depois de conhecer essas habitações estudantis

Viver em dormitórios universitários parece até uma narrativa de comédias hollywoodianas. Mas, na verdade, muitos campus proporcionam aos seus estudantes uma estadia em complexos residenciais especiais. Nesse mundo multicultural, os jovens têm a chance de ter uma experiência ainda mais inigualável. A proximidade entre os ambientes de moradia e aprendizagem os deixam mais conectados à graduação e à comunidade acadêmica. E isso pode prepará-los melhor para o regresso ao ‘mundo real’.

(imagem reproduzida por Design Boom e extraída de Casa Claudia)

Existem, pelo mundo, milhares de tipos diferentes de habitações estudantis. Tem as residências de fraternidade, os apartamentos compartilhados e os dormitórios dos campus. Sobre este último, algumas edificações comportam uma infraestrutura diferenciada. As acomodações podem ser simples ou ter um design bem elaborado. Mas, além dos interiores e da arquitetura das fachadas, é a paisagem das áreas comuns que mais impressiona. Elas são projetadas visando incentivar, ao máximo, a socialização.

Se você é estudante e gostaria de saber mais sobre o que esperar das habitações estudantis, principalmente no exterior, confira a lista abaixo.

+ Urban Rigger

(imagens reproduzidas por Design Boom e extraídas de Casa Claudia)

Esse pequeno complexo de moradia sustentável encontra-se na cidade de Copenhague, na Dinamarca. Idealizado por Bjarke Ingles, através do estúdio BIG, o Urban Rigger trata-se de uma estrutura flutuante e móvel. Ela é composta de nove contêineres de carga reutilizados, que somam seiscentos e oitenta metros quadrados de área.

Todos os módulos foram arranjados em um formato circular, com espaços livres, ao redor de um pátio com jardim. Os usuários contam também com um terraço na área da cobertura, onde estão as placas coletoras de energia solar. No porão, abaixo do nível do mar, ficam as áreas de armazenamento, sala técnica e lavanderia comunitária.

+ Alojamento Scape

(imagens de John Short extraídas de Casa Vogue)

Localizado em Londres, Inglaterra, o Scape é um complexo de dormitórios para estudantes. Foi projetado pela DA Studios e Ab Rogers. É considerado um novo modelo de habitação urbana compacta. Possui seiscentas unidades, com doze metros e meio cada.  A proposta baseia-se na ideia de aproveitamento de espaços extremamente compactos, assim como nos meios de transportes.

Cada célula de morar foi pré-fabricada industrialmente e transportada, posteriormente, para o local da construção do alojamento. Dentro dos dormitórios, cada móvel possui múltiplas funções. Ainda tem-se um pequeno banheiro privativo e uma minicozinha. No térreo, há diversos restaurantes e espaços comuns. Eles possuem um layout totalmente flexível, podendo ser modificado seguindo a grelha estrutural.

+ Residência Estudantil de Genebra

(imagens de Radek Brunecky extraídas de Mostra Casa Pixel)

Projetado pela Lacroix Chessex Architectes, o volume desse edifício segue a curva das vias ferroviárias adjacentes. Uma sobreposição de lajes horizontais forma a sequência de andares. Corredores voltados para o lado oeste e dormitórios e varandas privadas para o leste, se beneficiando com o sol da manhã e vista dos Alpes. A angulação dos planos é o resultando do estudo dos projetistas sobre a incidência de ruídos dos trens.

+ Moradia Estudantil West Campus

(imagens de Benjamin Benschneider extraídas de Arch Daily)

Em uma área antes pouco usada, mas vibrante, próxima ao campus da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, foi erguida uma edificação de uso misto. Os três blocos, posicionados sobre terraços elevados, abrigam quase duas mil unidades, entre apartamentos e dormitórios. Todas possuem sistemas eficientes para aquecimento de água, climatização de ambientes, iluminação artificial e mais.  No térreo, há restaurantes, lojas, posto de saúde e muito mais.

+ Tietgenkollegiet

(imagens extraídas de Metamorfose Digital e Instituto Eco Ação)

Tietgenkollegiet é um complexo de dormitórios para estudantes, projetado por Lundgaard & Arkitekter Tranberg em Ørestad, na Dinamarca. Todo o empreendimento soma quase trinta mil metros quadrados. Sua arquitetura e paisagismo são impressionantes. O atraente edifício principal, de sete andares, tem forma circular que contrasta com os demais volumes retangulares à volta, onde estão as residências individuais. E, ao mesmo tempo, isso cria um sentido de unidade. Todos os quartos tem a mesma oportunidade de desfrutar da belíssima vista panorâmica para as áreas de vegetação.

A fachada é revestida com liga de cobre, carvalho e placas de vidro. Dentro do prédio há trezentos e sessenta quartos. Todos apresentam um layout inteligente e funcional. Cada grupo de doze compartilha uma cozinha comunitária, uma sala de lazer e outras áreas de serviço público, como lavanderia. Também em seu interior há salas de leitura, de informática, ateliers, áreas para práticas de esportes e mais. Só o térreo é totalmente dedicado às instalações comunitárias, que beneficiam todos os residentes.

+ Cidade das Docas

(imagens extraídas de Minha Casa Container)

Em Le Havre, na França, a Cattani Architects construiu um belo complexo estudantil. Utilizando velhos containers e um suporte estrutural em metal, as unidades foram escalonadas, assim como no Urban Rigger. Formou-se, então, um espaço de jardim central, corredores transversais, pátios e varandas. Isso impediu qualquer sensação ruim em relação ao empilhamento.

Cada contêiner recebeu uma espessa camada de isolamento termo acústico, com quarenta centímetros em borracha. Contra a solidez do metal tem-se a leveza da transparência. Nas extremidades dos blocos, fechamentos em vidro garantem a entrada de luz e ventilação naturais, quando necessário. São cerca de cem apartamentos. E cada unidade tem vinte e cinco metros quadrados. Todas mobilhadas, com minicozinha e pequeno banheiro.

+ Residência Universitária de Gandía 

(imagens de Adrià Goula extraídas de Arch Tendências)

A Guallart Architects foi responsável pelo projeto de uma habitação em Gandía, na Espanha. É uma versão totalmente diferente daquelas conhecidas pelos universitários. O complexo funciona de forma mista, serve de residência social e estudantil. São cento e duas unidades destinadas apenas aos jovens, com tamanhos entre trinta e trinta e cinco metros quadrados.  Há, ainda, espaços compartilhados conjuntamente, como o centro cívico e social.

+ Moradia Estudantil Grønneviksøren

(imagens de Cecilie Bannow extraídas de Arch Daily)

Na periferia da cidade de Berger, na Noruega, o escritório 3RW Arkitekter construiu a moradia sustentável Grønneviksøren. Ela representa o maior complexo modular da Europa, servindo a um total de setecentos e cinquenta pessoas. São estudantes que precisavam morar na cidade, mas que possuíam um orçamento bem limitado.

São dezesseis blocos separados, com até oito pavimentos e conectados por pátios internos, galerias externas e áreas verdes circundantes. Os volumes possuem fachadas alegradas com janelas e painéis de tamanhos e tons de cores diferentes, que quebram a monotonia do conjunto. Dentro das edificações estão as unidades de tipos individuais, duplas, coletivas e familiares.

Sair da versão mobile