Top

Quase não dá para acreditar: essas casas parecem saídas dos contos de fadas

Os apreciadores da boa arte já sabem: a arquitetura tem a capacidade de transformar sonhos em realidade. E não há nada mais imaginativo, encantador e surreal do que as histórias infantis. Elas são puras, inocentes, naturais e repletas de muita magia. Justamente por isso é comum que os projetistas criem propostas com um ar mais lúdico para esta clientela, propostas que se encaixem melhor com todo o charme e a fantasia que tanto as encantam. Acaba que projetos assim resultam em construções nada convencionais. Quer saber mais? Então, confira a seguir!


Veja Também: Brincando – literalmente – de casinha! Conheça casas de crianças que são verdadeiras mini mansões


(imagem extraída de Pixabay)

O Blog da Arquitetura reuniu alguns exemplos de projetos que foram inspirados em contos de fadas. Não são apenas formas estranhas e excêntricas reunidas em construções bizarras, mas maneiras diferentes e originais de se apresentar componentes tradicionais, existentes em qualquer residência comum.

+ House for Essex 

(imagem extraída de Jefferson Smith)

A House for Essex faz parte do projeto ‘Living Architecture’, do filósofo Alain de Botton, que tem por objetivo oferecer à civis a possibilidade de entrar em contato com obras de arquitetos contemporâneos de classe mundial. Ela está localizada no vilarejo de Wrabness, na cidade de Essex, na Inglaterra. Foi projetada pelo artista Grayson Perry e pelo arquiteto Charles Holland, do escritório FAT, e inaugurada em 2015. Seu design foi todo centrado em uma personagem fictícia, chamada de Julie Cope.

(imagem extraída de Best Design Ideias)
(imagem extraída de Architectural Review)

O estilo e as proporções dessa edificação lembram em muito os das construções históricas da região, principalmente das capelas de peregrinação, datadas do período medieval. Os ambientes possuem pé-direito alto, desenhos complexos e decorações pitorescas, bem coloridas, trabalhadas e cheias de simbologias.  O que mais chama a atenção é o exterior. O telhado é moldado em cobre e apresenta esculturas em alumínio, e a fachada é coberta com milhares de peças cerâmicas feitas mão, que se relacionam bem com a paisagem ao redor.

“Eu queria que fosse muito pequeno e muito rico”, “teria parecido o set do Game of Thrones sem a intervenção da Holland” – Grayson Perry, sobre a contribuição de Charles Holland.

+ Nautilus House

(imagem extraída de Ciências as Cores)
(imagem extraída de Eye Ball Prints)

A Casa Nautilus foi construída na Cidade do México, no ano de 2006. Este modelo ecológico é resultado do trabalho, com inspiração em Frank Lloyd Wright e Antonio Gaudí, do arquiteto mexicano Javier Senosiain – conhecido por seus estudos sobre arquitetura orgânica. O pequeno “casulo em concreto e aço” parece ter emergido naturalmente do solo, integrando-se facilmente à natureza. Sua estrutura é fina, mas tem bastante resistência, capaz até de suportar terremotos. E suas formas curvas seguem para o interior da edificação, formando ambientes fluidos, sem interrupções.

A originalidade dessa obra também está presente nas cores, com a luz refletida pelos vitrais multicoloridos da fachada para dentro os ambientes; e nos jardins, presentes na sala de estar e jantar. Tudo isso tem atraído bastante a atenção dos turistas, que buscam fotografá-la diariamente, embora o imóvel seja particular e esteja sendo habitado.

“O seu ser biológico deve lembrar que a busca de sua casa não pode ser separado de suas raízes” – arquiteto Javier Senosiain, em entrevista de Revista Habitare.

+ Crazy House

(imagem extraída de Путешествие онлайн em Youtube)
(imagem extraída de Booking)

A Crazy House – ou Casa Louca, em tradução livre – foi projetada pelo arquiteto Dang Viet Nga; construída em Da Lat, no Vietnã; e inaugurada no ano de 1990. Seu design único assemelha a uma árvore gigante, com formas orgânicas tortuosas, inspiradas nas obras de Antoni Gaudí e Salvador Dalí. Quase não há planos retos. Os cinco andares são formados por um emaranhado de passarelas, escadas e elementos esculpidos em forma de galhos de árvores, animais, cogumelos, teias de aranhas e muito mais, parecendo terem saído de um sonho bastante maluco. Talvez por isso a edificação tenha sido descrita pelo Comitê do Povo da cidade como uma obra expressionista. A casa, antes pousada, está aberta a visitações.

“Desde o final do século passado até agora, a natureza e o meio ambiente foram destruídos demais; e os seres humanos tomaram as consequências do que fizeram. Por esse motivo, como arquiteto vietnamita, gostaria de levar as pessoas de volta à natureza para serem mais amigáveis ​​com ela, adorá-la; não só para fazer uso completo disso, então a destruindo como fazer as pessoas em muitos lugares do mundo, incluindo como Vietnã tem feito” – arquiteto Dang Viet Nga, em entrevista de Time Travel Turtle.

+  Clay Castle

(imagem extraída de The Shelter Blog)

O hotel Clay Castle – ou Castelo de Argila – foi recentemente concluído. Ele está localizado no ‘Vale dos Contos de Fadas’, nas montanhas Fagaras, na Romênia. Foi idealizado pelo casal de cantores e proprietários Razran e Gabriela Vasile, e pelo arquiteto Ileana Mavrodin. É um exemplo de bioarquitetura, de construção eco-friendly. Lembra as casas dos Hobbits, feitas em materiais naturais. Além do seu design extravagante, chama a atenção pela combinação de matérias-primas, como palha, argila, madeira, areia e pedras de rio. Sua localização só dá um “charme a mais” e uma possibilidade de descanso para aqueles que desejam fugir da agitação das cidades. É como uma viagem pelo espaço e tempo.

+ Stone House

(imagem extraída de Wikipedia)

Esta construção de dois andares, inspirada no desenho ‘Os Flintstones’ – criado na década de 1960 por William Hanna e Joseph Barbera, data do ano de 1974. Chamada também de ‘Casa do Penedo’, está localizada na freguesia de Várzea Cova, na região norte de Portugal. Sua estética lembra muito as construções do período medieval. Ela integra-se perfeitamente com a paisagem rural circundante. E apesar de ter sido feita entre quatro grandes rochas – que, aliás, as suportam, é apenas uma residência comum, com portas, janelas e telhado. Já foi destino de férias de seus proprietários. Agora, por atrair muitos turistas, foi transformada em museu. Internamente, os visitantes podem conferir todos os seus equipamentos. Não há eletricidade, mas, em compensação, há uma lareira e até uma piscina.

FontesCasa VogueRevista HabitareWikipediaTime Travel TurtleHypenessInhabitatDailyMail.


Leia Também:

Já pensou em um quarto igual ao do desenho Toy Story?

Se você gosta de Candy Crush, vai adorar conhecer o escritório do jogo!

Chuva de fofura! Café temático para quem é fã de unicórnios

Esse artista alemão cria arquiteturas impossíveis, mas incrivelmente interessantes