Top

Quais os materiais necessários no curso de arquitetura?

Aquele que observar, com atenção, um arquiteto ou estudante de arquitetura andando pela rua, perceberá que esse é o tipo de pessoa que costuma carregar muito, mas muito material consigo. E por que? Porque além do estudo teórico, o dia-a-dia do projetista envolve bastante exercício prático.

O campo de atuação do arquiteto abrange diversas áreas, desde a criação, até a supervisão e execução de obras. Representar uma ideia, por meio do desenho técnico, é apenas uma de suas atribuições. E para enfrentar essa rotina conturbada, é importante o profissional se preparar, organizando uma bolsa, uma mala profissional ou mesa de trabalho com tudo aquilo que será necessário para realizar as suas tarefas.

Então, arquitetos e futuros arquitetos, anotem aí quais são os materiais básicos que vocês devem adquirir para o exercício de sua profissão!

(imagem de Pixabay)

+ Para carregar os projetos

Na era da tecnologia, muito do que o arquiteto faz é desenvolvido com ajuda de equipamentos eletrônicos, como notebooks. Então, diferente do que se via no passado, o volume de papéis com desenhos feitos à mão livre ou impressos é menor. Porém, em alguns casos, ainda é necessário que o profissional leve, junto de si, alguns modelos gráficos para apresentar aos clientes e ajuda-los no entendimento da proposta.

(imagem de Pixabay)

Para carregar, adequadamente, um projeto de arquitetura, o mais indicado é enrolar as folhas. Assim, haverá menos amassados. O tubo extensível de plástico serve, justamente, para isso. Mas, se o arquiteto preferir, pode optar também por uma pasta plástica com alça, ideal para guardar desenhos em folhas de tamanhos menores ou dobradas. Mesmo a prancheta portátil, existente para vender no mercado, serve como maleta para guardar todos os desenhos e outros materiais.

+ Dentro da bolsa do profissional

Talvez a peça mais importante dentro da bolsa ou mala profissional do arquiteto seja o estojo. Isso porque é dentro dele onde se encontram os materiais mais importantes e de menor tamanho, que servem para a realização de anotações, croquis, desenhos técnicos e outros. O modelo mais indicado é o de ‘enrolar com divisórias’, pois ajuda a separar bem os tipos diferentes de objetos, tornando mais fácil a sua visualização.

(imagens de Pixabay e Pixabay)

Dentro do estojo de um arquiteto é preciso ter os seguintes materiais:

– Canetas (preferencialmente as hidrográficas);

– Lápis de desenho de várias durezas de grafite (como 6B, 4B e 2B);

– Lápis de cor aquarelado (há cartelas com doze ou vinte quatro cores);

– Lapiseiras de várias espessuras de grafite (como 0,3; 0,5; 0,7 e 0,9);

– Borracha comum e em formato de caneta (ideal para apagar pequenos cantinhos do desenho);

– Tesoura, estilete e lâminas para estilete;

– Compasso, clipes, colas (de isopor, branca e bonder) e fita crepe (para prender as folhas de desenho).

(imagem de Pixabay)

+ Ferramentas para elaborar desenhos técnicos

Se o arquiteto ou estudante de arquitetura precisar elaborar algum desenho técnico, é preciso outros materiais, além daqueles guardados dentro de sua bolsa ou mala profissional. Uma ferramenta indispensável é a régua escalímetro. Existe o modelo convencional, de trinta centímetros; e o de bolso, com apenas quinze centímetros. Nessa régua, há seis lados, com diferentes escalas – método para medição de desenhos. As mais utilizadas em arquitetura são 1:50, 1:75, 1:20, 1:25, 1:100 e 1:125.

Além da régua escalímetro, o arquiteto deve adquirir um conjunto de esquadros, para desenhos com ângulos de 30-60 e 45 graus. No mercado, existe outro modelo, o ajustável, assim como o do transferidor. Eles permitem uma abertura maior, de acordo com a precisão do desenho. É interessante também ter uma régua metálica, para cortes com estilete, essencial na confecção de maquetes; uma régua flexível, para desenhos sinuosos; e uma régua ‘T’, caso não haja a paralela da mesa de desenho. Ainda para facilitar o trabalho do projetista, existem as réguas gabaritos, como o ‘bolômetro’ e os moldes de mobiliários.

(imagem de Pixabay)

+ Materiais adicionais para saídas de campo

Quando o trabalho do profissional, sobre prancheta ou em computador, chega ao fim, está na hora de seguir para a obra. Acompanhar a materialização de suas ideias é um prazer e um dever do arquiteto. E para que tudo saia exatamente como o planejado, outros itens devem ser adicionados à sua lista de materiais:

– Trena simples, trena fita e/ou eletrônica (para a conferência das medidas de projeto);

– Linha prumo ou prumo de parede (para a conferência do alinhamento das paredes da construção);

– Tablet, celular e máquina fotográfica (para anotações rápidas e registros visuais dos espaços);

– Calculadora científica (para revisão de orçamentos, quantidade de materiais, cargas e mais);

– Cartela de cores e amostras de materiais (para conferência ou decisões de projeto, in loco);

– Óculos, capacete e luva de segurança (se necessário para a visitação da obra).

(imagem de Pixabay)

Leia também: 

Quais os acessórios que todo arquiteto deve ter?

  • Heloiza Nacle

    Comprei uma mesa para dar de presente, só que o forró tá ruim posso colocar outro plástico transparente??? Ou tem que ser branco?
    Comprei um plástico Vulcan.
    Pode ser?

    • Simone Tagliani

      Olá Heloiza,
      Desculpe a demora por responder sua pergunta. Bem, se você se referiu a mesa de desenho para arquitetos ou outros desenhistas, eu lhe digo o seguinte… Se o fundo dessa mesa já é branco, então você pode cobri-la apenas com um plástico transparente mesmo, sem problemas. Agora, o ideal é cobri-la com plástico branco e de maior resistência possível. Por que branco? Para que você possa colocar suas pranchas em papel manteiga ou vegetal (que são quase transparentes) sobre a mesa de desenho, sem que haja interferência visual das formas e cores do projeto, decorrente de um fundo (a mesa) com texturas ou cores que possam alterar sua percepção. Por que resistente? Porque você irá utilizar essa bancada para apoiar suas folhas, passar lapiseiras, às vezes elementos de corte… Então, esse plástico deve ser capaz de resistir à todas essas ações. Tem pessoas que colocam, inclusive, uma placa de vidro sobre essa mesa, mesmo que coberta com plástico branco. OK? Espero ter lhe ajudado.