Top

Lixo reciclável é trocado por alimentos em cidade paranaense

O lixo reciclável também pode ser uma moeda de troca por alimentos, é o que prova um projeto iniciado em 2011, pela prefeitura de Umuarama, cidade no noroeste do Paraná, a aproximados 580 km de Curitiba. O Programa “Lixo que Vale” foi criado com o objetivo de promover a integração da comunidade e a troca do lixo que pode ser reciclado – e que antes sujava as ruas e poluía o Rio Piava na cidade –, por alimentos com origem direta dos produtores da região.

Imagem:Reprodução Youtube
Imagem:Reprodução Youtube

Os moradores separam os materiais recicláveis que são recolhidos nas ruas e levados de caminhão até o posto de coleta. A Cooperativa de Catadores de Recicláveis de Umuarama (COOPERUMA) é a responsável pela triagem e comercialização do material. Os moradores recebem em troca a “moeda verde”, uma forma de pagamento simbólica, que será utilizada na feira realizada quinzenalmente na cidade, apenas com alimentos provenientes de produtores rurais.

Ali, os moradores encontram verduras, legumes, ovos, carnes, geleias, pães, entre outros alimentos, adquiridos pela prefeitura junto à Cooperativa de Produtores Rurais de Umuarama (COOPERU) com parte dos recursos gerados pela venda do lixo reciclável.

Imagem: Reprodução Paraná TV
Imagem: Reprodução Paraná TV

O programa é vantajoso tanto para a população, que reduz gastos com a compra de alimentos e aumenta a integração com os vizinhos na recolha do material reciclável e na divisão das moedas verdes, como para os agricultores, que já viram a produção e os lucros aumentarem. Além disso, a iniciativa também propicia uma cidade mais limpa, o que já rendeu ao “Lixo que Vale” diversos prêmios, como o Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade, em 2014, e o Prêmio Expressão de Ecologia, neste ano, considerado um dos maiores da área ambiental da região Sul do país.

Na cidade de Umuarama, o projeto já promoveu, inclusive, a diminuição dos casos de dengue e, além disso, a adesão da população não para de crescer. O modelo do “Lixo que Vale” foi colocado à disposição a outras prefeituras que queiram promover iniciativas semelhantes. É esperar que exemplos assim cheguem a outras regiões do país.

Referências: Umuarama 24 Horas, G1, Cidades Sustentáveis