Top

Jalapão: tudo o que você precisa saber sobre um dos principais destinos de ecoturismo do país

O Jalapão é uma extensão que fica localizada no estado de Tocantins. A viagem funciona praticamente como uma expedição, já que o local é um conjunto de cinco áreas de conservação, inclusive um parque estadual com 34.000 km². O número de visitantes não é grande, logo não há hotéis, apenas algumas pousadas próximas.

jalapao-blog-da-arquitetura

Quando se fala sobre o Jalapão, muitos imaginam que é como se fosse uma filial dos Lençóis Maranhenses com lagoas e dunas emolduradas por paredões, mas não é bem assim. O local é reconhecido pelo seu conjunto de dunas, lagoas e paredões de chapada, porém esse cenário fica em um lugar específico chamado Serra do Espírito Santo.

A região como um todo é um misto de paisagens, cerrados com campos gerais que lembram um deserto e escondidos em territórios com rios, de prainhas e corredeiras cristalinas, veredas com oásis de vegetação em torno das nascentes, fervedouros e piscinas naturais.

Atrativos

O Jalapão possui diversas opções já que é um dos principais destinos do ecoturismo do país. A maioria dos atrativos está localizada nas cidades de Mateiros, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins.

cachoeira-blog-da-arquitetura

cachoeira2-blog-da-arquitetura

Os passeios mais procurados são a Cachoeira da Velha, que é uma queda d’água em forma de ferradura de quase 100 metros de largura e 15 metros de altura; as Dunas, com areias finas e alaranjadas que chegam a 40 metros de altura; os povoados do Mumbuca e Prata, comunidades remanescentes de quilombos; Serra do Espírito Santo, uma formação rochosa onde é possível apreciar a flora da região; os Fervedouros, com águas transparentes onde é impossível afundar; e a Cachoeira do Formiga, nascente de água verde-esmeralda.

Como chegar e circular

Não existem voos diretos para o Jalapão. Quem vier de Palmas ou Brasília deve seguir pela TO-050 até Porto Nacional e depois pela TO-255 para Ponte Alta do Tocantins, porta de entrada do Jalapão.

Entre Palmas e Ponte Alta do Tocantins são cerca de 200 km de rodovia asfaltada. Depois há somente estradas de terra. Não é indicado circular pelo Jalapão sem guia, pois as estradas tem poucas placas e a maioria dos passeios tem difícil acesso, além de que a densidade demográfica não chega a um habitante por quilômetro quadrado, ou seja, se você estiver dirigindo sozinho há uma enorme possibilidade de você se perder e não ter ninguém por perto para prestar ajuda.

serra-blog-da-arquitetura

serra2-blog-da-arquitetura

O veículo usado indicado é um 4×4 e há opções de roteiros diários que incluem o transporte com guia e almoço, a partir de R$ 550,00. É possível também alugar um carro com o guia, o preço varia de R$80 e R$150 por dia.

Quando ir para Jalapão

É possível ir para o Jalapão o ano inteiro, entre maio e setembro há poucas chuvas e o céu está sempre aberto. Para ver o capim-dourado de forma dourada, visite em setembro.

fervedouros-blog-da-arquitetura

Durante a época seca os dias são mais quentes, quanto mais perto de setembro mais quentes e as noites mais frescas. Em época de chuva faz menos calor de dia, mas de noite não esfria.

O que levar

Leve bastante repelente, bonés, protetor solar e óculos de sol, para se proteger, e dinheiro vivo, já que não são todos os lugares que aceitam cartão. Após a Ponte Alta do Tocantins, a única funcionalidade dos celulares é apenas para tirar fotos, não há sinal.

dunas-blog-da-arquitetura

jalapao2-blog-da-arquitetura

Jalapão é um dos lugares mais incríveis que existem no Brasil, mesmo sendo de difícil acesso. Para quem procura uma paisagem exótica, descanso e muito contato com a natureza, ele é – sem dúvidas – uma excelente opção.