Ícone do site Blog da Arquitetura

Descubra por que esse complexo espanhol é referência em arquitetura sustentável

A arquitetura sustentável não é só uma tendência, mas uma realidade cada vez mais comum em casas e edifícios, inclusive os corporativos. Um exemplo é o projeto da Orona Ideo, extensão do Parque Tecnológico de San Sebastian, na região do País Basco, na Espanha.

Idealizado para abrigar uma área denominada Ecossistema de Inovação, que reúne diferentes atividades sinérgicas (negócios, tecnologia e universidade), o espaço acomoda mais de 4.500 funcionários e funciona também como hub para pesquisas sobre mobilidade urbana, energia e eco-tecnologia.

Os quatro edifícios do Ecossistema de Inovação da Orona Ideo, no Parque Tecnológico de San Sebastian, na Espanha

Célula Urbana

Assinado por uma equipe de arquitetos liderada pelo espanhol Xabier Barrutieta, o projeto é baseado no conceito de Célula Urbana, sendo composto por quatro edifícios de uso misto que abordam questões relacionadas ao espaço urbano, áreas verdes, acessibilidade e eficiência energética, dentre outras características.

O principal deles foi batizado de Edifício Zero e é a sede corporativa da Orona Ideo. Construído em 480 dias, tem 1.500 m² e formato semicircular, que remete à logomarca da empresa. É definido pelo elegante desenho de um cilindro oco de 90m de diâmetro, 15º de inclinação e 16m de altura. O prédio é acima do solo de um lado e, do outro, parece afundar, criando uma passagem que o atravessa.

O Edifício Zero é a sede corporativa da Orona Ideo e um grande exemplo de arquitetura sustentável

Sustentabilidade

Como o edifício demanda bastante energia, já que funciona como escritório e possui equipamentos eletrônicos que geram calor nos ambientes, o telhado recebeu mais de mil módulos fotovoltaicos policristalinos, que ajudam a produzir energia solar e torná-lo autossustentável nesse quesito. Apenas para comprar, a produção anual de eletricidade do prédio teria capacidade de atender o consumo de 100 apartamentos médios.

Mais de 2 mil pixels triangulares revestem a fachada, criando um desenho paramétrico que altera tons opacos, translúcidos e transparentes. Do lado de dentro, o design de interiores define ambientes de trabalho variados e inúmeras salas de reuniões, tornando-os confortáveis e funcionais para o dia a dia dos funcionários.

Deste lado do edifício, há uma passagem que permite acesso ao outro lado

Prova da eficiência e sustentabilidade dos projetos é que o Edifício Zero e os demais prédios que formam o Ecossistema de Inovação receberam as certificações Leed Gold e Breeam Excelent, tendo sido selecionados pelo World Green Building Council como referência para Saúde, Bem-Estar e Produtividade em Escritórios.

Área interna do semicírculo, com destaque para o vão de acesso sob a estrutura

Detalhe dos módulos fotovoltaicos instalados sobre o telhado do Edifício Zero

Ambiente interno do Edifício Zero, que preza pelo conforto e bem-estar de seus funcionários e visitantes

Fontes: Orona IdeoArchilovers e ArchDaily Brasil.

Sair da versão mobile