publicidade

publicidade

Como os parklets influenciam o entorno e podem ajudar o comércio local


Os parklets são um tipo de intervenção urbana feita em zonas de maior densidade das cidades, próximos aos comércios, onde há maior fluxo de pedestres. Vagas de estacionamento para automóveis são convertidas em espaços de convivência, interação e permanência para moradores locais e visitantes. Este fenômeno recente surgiu na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos. Agora, ele está presente em diversas capitais brasileiras, como São Paulo – que já conta com mais de cem unidades instaladas em seu território.

(imagem extraída de Propel Studio)

+ Um espaço público para curtir a cidade

Estes miniparques recreativos podem ser construídos tanto pela iniciativa pública quanto pela iniciativa privada. A ideia de criar esses espaços está relacionada, principalmente, com a possibilidade de tornar ruas e bairros mais atrativos e agradáveis de viver. Eles devem servir para modificar positivamente as cidades, mas podem servir também para outros propósitos, como fomentar comércios e atrair clientes – não se esquecendo de levar em consideração a opinião da comunidade local, promovendo o projeto de forma democrática.

“Empresários podem investir em espaços próximos aos seus comércios, mas é fundamental que se articulem com a comunidade local para definir o projeto e propostas de atividades para manter o lugar vivo e atraente.” – Jorge Duarte, presidente do Conselho de Desenvolvimento Local da Fecomercio São Paulo, em entrevista para o site FecomercioSP.

(imagem extraída de 510parklet)

+ Bom para os negócios, para os clientes e para a rua

“O benefício é para todos os cidadãos. Se um estabelecimento implanta um parklet em benefício de todos, ele também é beneficiado pela comunidade.” – Lincoln Paiva, presidente do Instituto Mobilidade Verde, em entrevista para Blog AECweb.

Quando um parklet é bem projetado, ele não causa problemas para o fluxo da rua em que está, nem para a realização das atividades dos lojistas ao redor. Acima de tudo, não prejudica a paz e o sossego de moradores locais. Pelo contrário, este espaço acaba sendo um local gostoso dentro da cidade. Claro, sua implantação poderá resultar, sim, na atração de novos visitantes e clientes para a região. Mas, é preciso que as pessoas entendam que esta deverá ser apenas uma estratégia de valorização do entorno, jamais uma extensão de bares, restaurantes e outros.

(imagens extraídas de Make Wealth History e Refinery29)

“Outro ponto positivo da instalação dos parklets é que, com o aumento do fluxo de pedestres, a área acaba se tornando mais segura. A cidade e, principalmente, as pessoas ganham muito com isso, pois os parklets passam a ser um lugar e não apenas espaço público.” – Simone Shoji, especialista da área de Pesquisa e Inteligência de Mercado da JLL, em entrevista para o site Panorama.

Entenda melhor o que são os parklets e quais os benefícios de suas implantações nas cidades assistindo ao vídeo logo abaixo:

+ Regulamentações para implantação dos parklets

O lojista não pode, simplesmente, se apropriar das vagas de veículos em frente à sua empresa, construir uma pequena plataforma sobre o pavimento, ampliar o espaço de calçada e colocar suas mesas e cadeiras. Primeiro, as pessoas precisam entender que este é um tipo de arquitetura temporária. Em cidades como São Paulo, os parklets têm licença de uso válida por apenas três anos, que pode ou não ser renovada.

Então, qualquer um que queira erguer algo assim precisa pedir autorização prévia para sua prefeitura. Geralmente, são aprovados projetos apenas para ruas com velocidade de até 50 km/h, mas isto vai depender das regras de cada município. Depois, fica a cargo do mantenedor – que pode ser uma empresa local ou uma organização de bairro – arcar com os custos para construir o espaço e mantê-lo, realizando sempre todas as manutenções necessárias.

(imagem extraída de Coletivo Verde)

Proprietários de estabelecimentos comerciais podem patrocinar o funcionamento de parklets, mas jamais poderão utilizá-los para promoverem seus negócios – nem mesmo colocando placas ou logotipos. Estes espaços são de uso público e não privado. Qualquer um, em qualquer horário, deve ter o direito de permanecer nestes locais, por tempo indeterminado. Ou seja, um lojista pode até instalar mesas no parklet, mas não poderá comercializar nada em sua área. Seus funcionários não poderão servir quem estiver ocupando as cadeiras. Mas, no caso de um bar ou restaurante, o cliente está livre para buscar sua comida e se acomodar a céu aberto.

(imagem extraída de Cycle Hoop)

+ Cuidados para o sucesso

O projeto arquitetônico de um parklet deve seguir uma temática urbana e estar de acordo com a legislação vigente. Conforme o tipo de negócio local, os comerciantes podem ou não fazer certas adaptações. São os mantenedores que estabelecerão qual será a finalidade do espaço, se servirá apenas para descanso, contemplação, alimentação ou também para promoção cultural, com apresentação de músicas e outras artes. O importante é que tudo esteja sempre muito limpo e conservado.

Os parklets podem ser equipados com: minibibliotecas, bancos, cadeiras, mesas, arquibancadas, bicicletários, guarda-sóis, vasos, floreiras e equipamentos para animais de estimação.

(imagem extraída de Shift Space Design)

“Quando o comerciante cria um espaço para as pessoas sentarem na frente do estabelecimento, ele começa a se conectar com seu entorno. E a população começa a entender que aquele comerciante está conectado com ela, patrocinando um espaço público. E o espaço vai começar a atrair as pessoas que trabalham e moram próximo do local, que entenderão que o comerciante está fazendo um bem para a comunidade” – Lincoln Paiva, em entrevista para FecomercioSP.

(imagem extraída de Twitter de Brent Toderian)
(imagem extraída de Pinterest)

+ Atraindo o público para os parklets

“O que mais atrai as pessoas é sempre a presença de outras pessoas.” – urbanista William Whyte, citado em um estudo da University City District, na Pensilvânia.

De acordo com pesquisas já realizadas, acredita-se que os parklets possam ajudar a aumentar as vendas e atrair clientes para os comércios adjacentes. A maioria dos frequentadores é jovem, embora alguns espaços sejam projetados para um público misto. Mas, curiosamente, por vezes, estas pessoas não usufruem os serviços ou compram os produtos dos lojistas mais perto.

(imagem extraída de Minneapolismn)

Em relação à construção dos parklets, nem só o local onde são instalados e o seu design são determinantes para o sucesso da empreitada. Vai depender também do que é oferecido nos estabelecimentos mais próximos. Por exemplo, se a pessoa conseguir carregar até as mesas a sua comida – como é o caso dos lanches, sorvetes e cafés – é mais provável que ela possa aproveitar melhor a instalação. Agora, de todo modo, sujeiras, ruídos sonoros perturbadores, excesso de veículos e pedestres transitando na rua e estabelecimentos escuros, com pouca visibilidade para o lado de fora, pode afugentar os clientes.

A seguir, podem-se ver dois bons exemplos de caso, onde os comerciantes investiram na construção de parklets para atrair clientes. Os vídeos dão uma noção de como pode ser intensa a movimentação de pessoas num local desses, em um período de um dia.

Fontes: Fecomercio SPÉpocaBlog AECwebFolha de São Paulo.


Leia Também:

Parklets: espaços para convívio nas cidades

Coletivo carioca propõe parklets com educação ambiental

High Line Park: um exemplo icônico e inovador de transformação urbana


publicidade

publicidade