publicidade

publicidade

Como iniciar um projeto de arquitetura?


Todo arquiteto em início de carreira que esteja enfrentando pela primeira vez os desafios da vida profissional – ou ainda, que esteja na faculdade, onde as exigências são mais flexíveis – pode ter dúvidas sobre por onde se deve iniciar o desenvolvimento de um projeto. E é importante descobrir isto logo, pois todas as construções necessitam de um bom projeto de arquitetura. Mas, enfim, não existem regras. Cada um deverá desenvolver, com o tempo, sua própria maneira de expressar as ideias.

Alguns preferirão fazer tudo à mão livre. Outros se sairão melhor utilizando os recursos digitais. De todo modo, não é uma tarefa fácil. Por isso o Blog da Arquitetura listou algumas orientações de apoio para todos aqueles que queiram saber quais são as primeiras etapas de criação em arquitetura.

(imagem extraída de Pixabay)

+ Levantamento arquitetônico

Antes de desenvolver um projeto arquitetônico, o profissional deve realizar o levantamento arquitetônico. Nada mais é do que uma coleta de informações, da mais extrema importância. Primeiro deve-se realizar uma entrevista com o cliente, para entender melhor quais são suas necessidades, além dos gostos e desejos de todos aqueles que irão habitar o novo espaço, seja ele comercial, residencial ou recreativo. Estes dados servirão depois para a elaboração do programa de necessidades. Também será necessário que o arquiteto responsável vá pessoalmente conhecer o local da obra. Esta será a melhor oportunidade de fazer as medições gerais e o registo fotográfico. Esta breve noção espacial é o começo do processo criativo para o projetista. Com todos esses dados em mãos já dá para começar os esboços e croquis.

(imagem extraída de Pixabay)

+ Esboços e croquis

Muitos arquitetos se sentem mais confortáveis começando um projeto por meio dos croquis – lembrando que não existem maneiras certas e erradas de se começar um projeto. Este é o jeito mais rápido do profissional expor de maneira gráfica, durante um momento criativo, as suas primeiras ideias. É um tipo de desenho bem simples, quase abstrato, feito à mão livre e sem réguas. E nem é exigida uma grande habilidade em artes visuais. Este recurso serve apenas para que o projetista possa propor volumes e transformar em real algo que estava preso em sua mente, chegando quase a ser possível enxergar como a obra ficará quando construída.

(imagem extraída de Pixabay)

+ Primeiras plantas baixas

Conseguir visualizar espacialmente suas ideias e ainda as traduzir em uma planta baixa é algo bastante difícil. Esta etapa é mesmo importante, base para o desenvolvimento do projeto de arquitetura. Algumas propostas mais complexas, como de urbanismo e paisagismo, só poderão ser melhor compreendidas, mesmo na etapa inicial, se desenhadas em duas dimensões. Estes primeiros desenhos servirão, justamente, para visualizar as coisas de forma mais clara; testando, em dimensões mais precisas, todo o potencial construtivo do terreno, todas as possibilidades para distribuição de cômodos e de posicionamento de elementos. Às vezes, é preciso fazer, inclusive, uma planta de corte – esquemática, claro – para entender terrenos acidentados ou planos inclinados, por exemplo.

(imagem extraída de Pixabay)

+ Modelos em 3D

Chega um momento em que as ideias não são possíveis de serem explicadas corretamente apenas com desenhos 2D. Elementos geometricamente complexos, como estruturas geodésicas, podem ser melhor compreendidas com a modelagem tridimensional. Com os 3Ds os projetos parecem ganhar vida. Uma maquete bem feita, física ou eletrônica, apontará todos os problemas não vistos durante o desenvolvimento das plantas, como a adequação do projeto às curvas de nível do terreno, assim como sanar certas dúvidas do projetista. E, nesta de concepção, a maquete não precisa ser bem acabada e detalhada. Modelos rápidos, resultantes de dobraduras ou pequenas manipulações de papel, já servirão.

(imagem extraída de Pixabay)

Veja mais informações e dicas sobre como iniciar um projeto de arquitetura no vídeo abaixo:

+ Conclusão

O processo criativo de um arquiteto amadurecerá a cada dia. É importante descobrir como testar novas ideias, mesmo que isso ocorra nos momentos mais inesperados, e saber deixar o pensamento fluir. E controlar o tempo, para que cada etapa não se estenda demais. Compreender todas as possíveis maneiras de se iniciar um projeto, com croquis, plantas e modelos 3D, só ajudará o profissional a dar mais agilidade ao seu trabalho e evitar possíveis erros e desilusões sobre propostas que simplesmente não funcionarão.

(imagem extraída de Pixabay)

Leia Também:

Famosos arquitetos e seus croquis em guardanapos

O que é o levantamento fotográfico para a arquitetura de interiores?

Arquitetos: onde encontrar a inspiração para projetar?

Esboço: importante ferramenta na concepção do projeto arquitetônico

BDE Explica: Levantamento Arquitetônico


publicidade

publicidade