Ícone do site Blog da Arquitetura

5 dicas para vender seus móveis usados de forma online e rápida

Está de mudança ou com vontade de renovar os cômodos da casa? Momentos como esses são bons para se livrar dos móveis usados ou daquela peça que já não faz mais sentido na nova ambientação. Com o passar dos anos, é natural que um móvel que já teve grande representatividade nas nossas vidas perca o sentido e dê espaço para um outro, mais novo.

Dependendo da pessoa e do estado da peça, há quem prefira doar e quem prefira tentar revender. Se a sua intenção é tentar vender o móvel, é importante saber onde, como e por quanto. De olho nessas dúvidas bastante comuns, o Blog da Arquitetura preparou esse artigo com 5 dicas para você vender seus móveis online e de forma rápida. Olha só!

Fonte: Pixabay.

1. Encontre o site ou app certo

Antes de colocar seu produto à venda, pesquise bem os locais onde você vai publicá-lo na internet. Algumas plataformas ficam com uma porcentagem do seu lucro, então vale a pena ver se isso é interessante para você. Outro ponto é a quantidade de pessoas que visitam aquela plataforma, assim como a praticidade de ser um vendedor por determinado site. Feito isso, você já deu o primeiro passo para começar suas vendas.

2. Descubra o preço certo para vender

Mesmo que o sofá seja muito novo, você vai ter que jogar um preço menor que o de varejo, não tem jeito! É sempre bom lembrar que estamos falando de uma compra de segunda mão para o comprador, ou seja, ele precisa ser incentivado para a transação de fato ocorrer. Por mais que o objeto esteja em perfeitas condições, o comprador só terá certeza após adquiri-lo.

Fonte: Pixabay.

3. Tire fotos boas (e honestas)

Você deve se lembrar que o comprador não vai tocar ou ver a peça pessoalmente, então suas fotos precisam fazer esse trabalho. Use uma boa iluminação e, se possível, de ângulos diferentes. Este é um daqueles momentos em que você deve ser minucioso – quanto mais fotos e detalhes, melhor.

As fotografias devem ser precisas tanto para descrever falhas quanto para transmitir as reais condições do objeto, afinal ninguém quer uma surpresa na hora da retirada.

Não se esqueça sempre se colocar imagens atuais, já que dependendo do produto, pode haver alguma pequena deterioração desde a compra inicial.

4. Seja o mais descritivo possível

Descreva seu produto da forma mais completa possível, incluindo informações úteis como nomes de marca, histórico de uso, tamanho e dimensões, condição, cor, quanto tempo você teve, onde você conseguiu, informações não explícitas na fotografia, etc. Aqui vale a regra de quanto mais, melhor.

Fonte: Pixabay.

5. Divulgue!

Além das ferramentas de busca da própria plataforma, faça o seu “boca a boca” e use suas redes sociais ou até mesmo grupos de revenda do Facebook. É bem provável que você encontre alguém que esteja procurando exatamente o que você está querendo se desfazer! Boa sorte!

 

Sair da versão mobile