publicidade

publicidade

Mestres da Arquitetura: Paulo Mendes da Rocha e suas obras atemporais


Paulo Archias Mendes da Rocha é um dos mais importantes – e vivos – arquitetos da história brasileira, com posição de destaque na contemporaneidade. Foi autor de projetos polêmicos, tema de críticas, de livros e reportagens. Recebeu importantes prêmios ao longo da carreira. Estabeleceu novos padrões e inspirou outros profissionais, tanto em seu país, quanto na América Latina e além. E não para por aí. Aos 89 anos, ele se mantém na ativa, trabalhando em um pequeno escritório, localizado no edifício do IAB, no centro de São Paulo.

Pinacoteca (imagem extraída de Blog Projeto Arquitetonico F)

+ Um pouco de sua história

Mendes da Rocha nasceu na cidade de Vitória, no Espírito Santo, no ano de 1928. Sua formação profissional foi realizada na Universidade Mackenzie de São Paulo, em 1954. Aliás, ele participou de umas das primeiras turmas da Faculdade de Arquitetura & Urbanismo da instituição. Em meio a ensinamentos voltados para modelos historicistas, alguns jovens profissionais, como Paulo, se inspiravam nas ideias revolucionárias do Brutalismo europeu e de Vilanova Artigas, Mies van der Rohe e Le Corbusier. Ingressaram no movimento moderno e passaram a debater sobre o verdadeiro papel do arquiteto nesse novo modelo de sociedade.

Pinacoteca do Estado de São Paulo – Projeto de requalificação realizado por Paulo Mendes da Rocha, em 1998. Sua área é destinada a importantes acervos e exposições de arte. Recebeu nova organização da circulação através de passarelas, que cruzam sobre os vãos centrais sem afetar a arquitetura original do edifício.
(imagem extraída de Archdaily)

Em 1961, o arquiteto já estava lecionando. Só o golpe militar de 1964 o afastou das funções de dar aulas. Infelizmente, Paulo Mendes só voltaria a ser professor no início da década de 1980. Em mais de sessenta anos de exercício profissional, ele criou algumas das mais belas e emblemáticas obras de arquitetura de São Paulo. Também foi símbolo da chamada ‘Escola Paulista’, um tipo de produção que empregava a racionalidade e formas plásticas arrojadas, com estruturas de grandes vãos, em concreto armado e aparente.

Por todo o seu legado, principalmente devido ao uso do concreto e do aço, Paulo Mendes da Rocha ganhou prêmios e menções honrosas bem importantes, como a medalha de ouro do Royal Institute of British Architects; o “Leão de Ouro” na Bienal de Arquitetura; e o Pritzker, o maior reconhecimento mundial em sua área.

Casa do Arquiteto – Localizada no Butantã, São Paulo. Projetada em 1964. Apresenta um estudo espacial bem racional, com pouquíssimos pilares e vigas mestras sustentando toda a construção. Também janelas do tipo modular e mobiliário integrado à arquitetura.
(imagem extraída de Archdaily)
Casa Gerassi – Localizada no Alto de Pinheiros. Projetada em 1989. Construída com elementos de concreto pré-moldado, que foi um sistema bem inovador para a época. Possui um vão livre no térreo com mais de quinze metros de comprimento, que mantém a casa toda suspensa. 
(imagem extraída de Blog Comover Arquitetura Urbanismo)

+ Características do seu trabalho

“A primeira e primordial arquitetura é a geografia!” – Paulo Mendes da Rocha

Paulo Mendes é o tipo de arquiteto ‘socialmente responsável’. Um não conformista, que examina de perto e com seriedade todos os problemas de uma cidade e tenta buscar soluções de projeto para desenvolver melhor seus espaços. Mendes demonstra, pura e simplesmente, em seu jeito de pensar e de viver, uma preocupação com a integração das áreas sociais e ambientais, com a arquitetura sintética – crua, limpa, clara – e com a relação do homem a tudo isso.

Ginásio Club Athlético Paulistano – Localizado no Jardim América. Projetado em 1957. Lembra um disco voador apoiado sobre finas lâminas de concreto.
(imagem extraída de Revista Estilo bb)

Alguns críticos afirmam que o segredo da técnica de Paulo Mendes é justamente essa certeza, de que a arquitetura pode, sim, transformar a realidade, reconfigurar territórios, instigar a reflexão e politizar. Outros o resumem apenas como um simples ‘racionalista de pórticos e planos’, intransigente no emprego dos materiais e um profissional de total desprezo por tudo que é supérfluo. Mas, independente das opiniões que tenham sobre a personalidade de Paulo Mendes da Rocha, todos precisam concordar que seu trabalho está muito a frente de seu tempo.

Edifício Guaimbê – Projetado em 1962. Esse prédio destaca-se da paisagem urbana. É feito quase que inteiramente de concreto. Sua fachada apresenta um incrível trabalho de proteção solar, feito por brises cursos e floreiras.
(imagem extraída de Archdaily)
Edifício Jaraguá – Localizado no bairro Pompéia. Projetado em 1988. Suas fachadas racionais, feita em concreto e vidro, se destacam na paisagem urbana. O volume do prédio intercala lajes e panos de forma bastante harmoniosa.
(imagem extraída de SP 24hrs)

+ Seus projetos e áreas de interesse

Paulo é mundialmente conhecido pelos seus mais diversos trabalhos. Seu primeiro projeto foi o ginásio do Club Atlhético Paulistano. Essa e outras de suas propostas têm em comum a configuração do espaço resultante de um jogo estrutural, composto de elementos construtivos tradicionais – lajes, vigas e pilares simples. Só na área residencial, Mendes aprimorou ideias importantes em design de móveis e de interiores, unindo conforto e funcionalidade. Também desenvolveu desenhos para casas unifamiliares, como a própria Casa do Arquiteto.

Estão na lista de obras importantes, do arquiteto Paulo Mendes da Rocha, na cidade de São Paulo: o Museu Brasileiro da Escultura; o Edifício Guaimbê; as intervenções na cobertura da Galeria Prestes Maia e na Praça do Patriarca; as áreas reformadas da Pinacoteca, da Estação da Luz e do Museu da Língua Portuguesa; entre outros.

Museu Brasileiro da Escultura – MuBE – Localizado no bairro Jardim Europa. Projetado em 1995. Possui uma impressionante viga em concreto protendido com mais de sessenta centímetros de comprimento. Seu volume parece flutuar sobre um grande jardim de esculturas, com direito a espelho d’água. É um lugar próprio para passeios e contemplação.
(imagem extraída de Archdaily)
Poupatempo Itaquera – Localizado em Itaquera. Projetado em 1998 com propósito de receber, de forma mais fácil, milhares de passageiros por dia. Seu volume, assim como outros edifícios projetados por Mendes da Rocha, está elevado por pilotis.
(imagem extraída de SP 24hrs)

Fontes: VitruviusWestwingRevista Habitare.


Leia Também:

Dica cultural: arquiteto Paulo Mendes da Rocha ganha exposição em São Paulo

Mestres da Arquitetura: Mies van der Rohe

Mestres da Arquitetura: Alessandro Mendini e seu design arte

Mestres da Arquitetura: a vida, as obras e o legado de Le Corbusier

Mestres da Arquitetura: a vida e as obras de Oscar Niemeyer

As principais obras de Oscar Niemeyer pelo mundo

As maiores obras do mestre Oscar Niemeyer no Brasil


publicidade

publicidade