publicidade

publicidade

Capital mundial do design recebe playground feito de materiais descartados


playground01_blog-da-arquitetura
Swings Park, em Taipei, capital de Taiwan

Muito mais do que a capital de Taiwan, Taipei é uma cidade na qual monumentos históricos e edifícios modernos convivem em harmonia. Fundada há 300 anos, atualmente abriga mais de 2,7 milhões de habitantes que desfrutam de uma agitada vida noturna, restaurantes e cafés famosos internacionalmente.

Com tantas qualidades, não é de se estranhar que a cidade seja exemplo de desenvolvimento urbano, com redes de transporte público rápidas e baratas, parques e praças espalhados pelos quarteirões, repletos de bancos, abrigos, vegetações e estruturas de lazer, e banheiros públicos limpos, gratuitos e de fácil acesso.

Comprovando o visionário projeto urbanístico de Taipei, em 2016 ela foi escolhida a Capital Mundial do Design (WDC). Bastante sugestivo, o slogan da campanha apontou o caminho que a capital taiwanesa está trilhando: “Cidade Adaptativa: Design em Movimento”.

playground02_blog-da-arquitetura
O playground temporário ficará instalado em um espaço ocioso até 2017

Uma cidade para pessoas

A proposta é mostrar como o design pode melhorar a qualidade de vida da população. Um dos projetos é Swings Park, um playground temporário feito a partir de materiais que seriam descartados, que surpreende pelo tom amarelo vivo e pela técnica de upcycle utilizada.

Assinado em parceria pelo coletivo espanhol Busurama, especializado no uso inovador de resíduos para destacar a importância da reciclagem de recursos, e pelo estúdio de design taiwanês City Yeast, que desenvolve ações de design experimental para a cidade e seus moradores, o parque foi instalado debaixo de uma das vias expressas mais movimentadas da capital.

playground03_blog-da-arquitetura
As estruturas foram apenas soldadas, permitindo que o usuário perceba como elas eram originalmente

Nesse espaço ocioso, a área de lazer de 16,5 x 6,5 metros de comprimento e 4 metros de altura está isolada de veículos e motocicletas, como se fosse uma ilha. Os principais materiais utilizados são torres de refrigeradores antigos e postes de iluminação urbana descartados, que foram soldados para formar a estrutura do playground.

Com redes e balanços de alturas variadas, feitos a partir de pneus, o Swings Park foi projetado não apenas para crianças, mas para pessoas de todas as idades, tornando-se exemplo de parque experimental para planos futuros de regeneração urbana.

Confira abaixo como os designers aproveitaram os elementos que seria descartados para criar a estrutura do playground:

playground04_blog-da-arquitetura

playground05_blog-da-arquitetura

playground06_blog-da-arquitetura

Fotos: DesignBoom. Fonte: ArchDaily Brasil, DesignBoom, Lonely Planet e WDC.


publicidade

publicidade